Ladrões furtam no Quirguistão material para usina nuclear

Homens armados, usando máscaras, entraram à força nesta semana numa indústria química e metalúrgica no Quirguistão e furtaram 460 quilos de óxido de európio, um elemento químico que pode ser usado em reatores nucleares, informou o serviço de Imprensa do Ministério do Interior. A substância é utilizada principalmente em barras de controle que regulam o processo das reações nucleares. Também pode ser usada nos setores de ótica e eletrônica.Localizado na Ásia Central, o Quirguistão é uma ex-república soviética que se tornou independente em 1991.Os atacantes espancaram, desarmaram e amarraram dois guardas da empresa, situada em Orlovka, 80 quilômetros a nordeste da capital, Bishkek. Depois, destruíram as fechaduras do depósito e levaram 23 caixas com o material. A polícia iniciou uma ampla caçada aos ladrões. As autoridades acreditam que tenham agido sob ordens de outra pessoa, interessada em vender o material.No período de domínio soviético, as instalações de Orlovka eram secretas e faziam parte de um complexo industrial militar. A cidade era fechada a todos os estrangeiros, porque na região se extraía urânio. Atualmente, a fábrica produz zircônio, usado na elaboração de combustível nuclear.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.