Ladrões levam US$ 50 milhões em diamante de aeroporto belga

Em uma ação cinematográfica, pelo menos oito assaltantes invadiram o aeroporto de Bruxelas, na Bélgica, dominaram agentes de segurança e levaram o equivalente a pelo menos US$ 50 milhões em diamantes e joias na segunda-feira. O ataque foi realizado à noite por homens encapuzados que vestiam fardas, conduziam duas vans equipadas com sirenes da polícia e estavam armados com metralhadoras.

PARIS, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2013 | 02h04

Sem disparar um único tiro, a quadrilha invadiu o pátio do aeroporto de Bruxelas, forçando as barreiras de uma obra em andamento, de acordo com informações da procuradoria da Bélgica.

Os dois veículos dirigiram-se ao local em que um carro-forte estava estacionado, embarcando vários sacos de joias em um avião da companhia Helvetic Airways, que operava um voo de outra empresa, a Swiss, e se preparava para decolar carregando diamantes da cidade de Antuérpia em direção a Zurique, na Suíça.

A ação foi tão rápida e eficaz que os passageiros a bordo do avião nem sequer perceberam o assalto, que durou menos de cinco minutos. Segundo a polícia da Bélgica, depois do roubo, os ladrões queimaram uma das vans usadas na operação, o que ressalta o profissionalismo da quadrilha.

"Eles se passaram por policiais, forçaram as portas da zona de carregamento do avião e fugiram, provavelmente, com 120 sacos", disse Ine van Wymeersch, porta-voz da procuradoria de Bruxelas. "Não foi um assalto feito ao acaso. Foi algo preparado, feito por profissionais."

Como de praxe, as autoridades da Bélgica não revelaram o valor roubado no assalto, o que alimentou boatos. De acordo com o Centro Mundial do Diamante de Antuérpia, que representa os empresários do setor na região do aeroporto, o prejuízo causado pelo ataque foi avaliado em € 37 milhões - ou US$ 50 milhões. / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.