Ladrões limpam cofres de diamantes em Antuérpia

Apenas os próprios ladrões sabem quantas pedras preciosas foram roubadas, apesar de os jornais de Antuérpia já terem considerado este o maior roubo de todos os tempos, na capital mundial da lapidação de diamantes. Durante o fim de semana, ladrões limparam 123 dos 160 cofres privados do Centro de Diamantes de Antuérpia, um complexo de segurança máxima. O roubo, porém, foi descoberto apenas na segunda-feira.Hoje, a polícia ainda quebrava a cabeça para calcular a extensão do roubo. Há uma década, quando apenas cinco desses cofres foram roubados do complexo onde lapidadores e vendedores tradicionalmente guardam suas mercadorias, o roubo foi estimado em ? 4,25 milhões."Não devemos exagerar, mas é óbvio que o total do roubo será muito maior agora", lamentou Youri Steverlynck, porta-voz do Alto Conselho dos Diamantes. "Certamente estamos falando sobre milhões e milhões de euros."Na noite de hoje, ainda não era possível determinar quantas gemas estavam desaparecidas. "Estamos no meio do processo de preparação do inventário. Ainda é muito cedo para se falar sobre o valor total do prejuízo", disse Leen Nuyts, um magistrado da promotoria, em entrevista por telefone."O roubo de todos os tempos no Distrito dos Diamantes", noticiavam dois jornais de Antuérpia, com manchetes idênticas.Excluída a magnitude do roubo, o que mais impressionou foi a audácia dos ladrões.O prédio do Centro de Diamantes fica no coração de um bairro histórico de Antuérpia, que abriga as empresas que negociam as gemas e abrigam suas mercadorias nos cofres da caixa forte do local.Para ter acesso ao prédio, é necessária autorização especial. O local é coalhado de câmeras de circuito interno. A sala dos cofres é ainda mais protegida, com vigilância 24 horas.Como não há sinais de arrombamento, a polícia suspeita de cooperação de pessoas de dentro do Centro de Diamantes e conduz interrogatórios com funcionários responsáveis pela segurança do prédio."Os interrogatórios com os funcionários do centro estão em andamento", disse Nuyts."Os ladrões sabiam muito bem como evitar as câmeras de segurança e os alarmes", constatou Steverlynck.Os poucos lapidadores e comerciantes sortudos que não tiveram gemas roubadas viram documentos espalhados pelo chão e concluíram que os ladrões tentaram roubar o maior número possível de gemas no menor tempo possível. Outros disseram que, com pressa para ir embora, alguns ladrões deixaram cair algumas gemas e não se preocuparam em voltar para recuperá-las.Segundo Nuyts, a polícia trabalha com duas hipóteses sobre a quadrilha: "Ou eles passaram horas lá dentro ou havia muitos deles", disse. "Era impossível e mesmo assim aconteceu", lamentou um vendedor de diamantes ao jornal Het Nieuwsblad.Steverlynck comentou que "o distrito dos diamantes é o mais protegido de toda a Bélgica. Teremos de analisar em qual ponto o sistema de segurança falhou".O bairro também abriga a comunidade judaica de Antuérpia e teve sua segurança reforçada nas últimas décadas, devido a temores de atentados.Para o Alto Conselho de Diamantes, o roubo deste fim de semana prejudicará a indústria. O órgão representa os comerciantes de diamantes da cidade e regula o comércio das pedras preciosas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.