Lagarde: Pobreza na África preocupa mais que Grécia

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, conclamou hoje os gregos a pagarem seus impostos e declarou-se mais preocupada com a situação na África subsaariana do que com a pobreza causada pela crise econômica na Grécia.

RICARDO GOZZI, Agência Estado

25 Maio 2012 | 21h46

Em entrevista concedida ao jornal britânico The Guardian, Lagarde declarou: "Até onde interessa a Atenas, eu também estou preocupada com aquelas pessoas que tentam fugir o tempo todo do imposto de renda, todas as pessoas na Grécia que tentam se esquivar do pagamento de impostos".

Para Lagarde, os gregos deveriam "tentar se ajudar coletivamente" e "todos pagarem os impostos devidos". Ela disse pensar "na mesma proporção" naqueles que estão privados dos serviços públicos por causa da crise e naqueles que tentam se esquivar dos impostos.

Sobre as crianças afetadas pela crise, Lagarde atribuiu a responsabilidade aos pais. "Os pais precisam pagar seus impostos", disse ela ao Guardian.

"Penso mais nas criancinhas de uma escola em um povoado no Níger que têm duas horas por dia de aula, com uma cadeira para três crianças e ainda assim conseguem estudar", prosseguiu. "Penso nelas o tempo inteiro, e acho que elas precisam de muito mais ajuda do que as pessoas em Atenas."

O FMI, dirigido por Lagarde, é um dos três credores externos que impuseram à Grécia a adoção de duras medidas de austeridade fiscal, com duros cortes nos serviço públicos, em troca de resgate financeiro. Os outros dois credores são a União Europeia (UE) e o Banco Central Europeu (BCE). As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
FMI Lagarde África Grécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.