Reuters
Reuters

Lançamento do primeiro foguete privado é abortado

Problema no motor do foguete provocou a segunda suspensão do voo

PATRICIA LARA, Agência Estado

19 Maio 2012 | 13h37

O primeiro foguete de uma companhia privada rumo à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) ficou em solo neste sábado, após um problema no motor do aparelho provocar a segunda suspensão do lançamento do voo histórico. Todos os nove motores do SpaceX Falcon 9 foram acionados na manhã deste sábado. Mas faltando menos de meio segundo antes do horário de lançamento, os computadores de bordo desligaram automaticamente tudo. E ao invés de decolar para uma missão de entrega para a estação espacial, o foguete ficou na sua plataforma de lançamento em meio a uma nuvem de fumaça do escape dos motores.

Até mesmo o comentarista mais experiente sobre lançamentos da National Aeronautics and Space Administration (Nasa) foi pego de surpresa. "Três, dois, um, decolar", anunciou o comentarista George Diller, para em seguida dizer: "Houve uma interrupção e a decolagem não ocorreu."

O presidenta da SpaceX, Gwynne Shotwell, disse que uma pressão elevada na câmera de combustão do motor 5 ocasionou o problema e que os técnicos conduziriam uma inspeção no final do dia. Se o motor tiver de ser substituído, um outro está disponível. A nova tentativa de lançamento da cápsula Dragon, carregada de produtos, para a estação espacial não deve ocorrer antes de terça-feira.

Com sede na Califórnia, a companhia, chamada anteriormente Space Exploration Technologies, tentará em poucos dias uma nova tentativa de lançamento para economizar combustível no caso de encontrar problemas antes de alcançar a estação espacial. Mas o lançamento também pode ser adiado para quarta-feira.

Esta é a primeira tentativa de lançamento por uma das várias companhias privadas dos EUA que tentam assumir a tarefa da Nasa de transportar carga e, eventualmente, astronautas para a estação espacial. Apenas governos conseguiram executar a tarefa até o momento: os EUA, Rússia, Europa e Japão.

A Nasa tem se voltado para o setor privado para tentar lançar astronautas ao espaço de solo norte-americano. Representantes da SpaceX afirmaram que isso pode ocorrer em um prazo não inferior a três anos, possivelmente, quatro anos. Várias outras companhias também estão na corrida.

Na tentativa de lançamento deste sábado, o bilionário Elon Musk, fundados da SpaceX, estava no controle da missão em Hawthorne, na Califórnia. Ele ajudou a criar o PayPal e fundou a SpaceX 10 anos atrás. Ele também dirige a Tesla Motors, sua companhia de carros elétricos. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUA foguete

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.