Latino-americanos se alistam no Exército espanhol

Jovens latino-americanos de ascendência espanhola começaram a se alistar nas forças armadas da Espanha, em uma campanha de recrutamento com a finalidade de compensar a falta de interesse local no novo exército profissional do país ibérico.Um grupo de recrutas uruguaios deverá chegar nesta quarta-feira ao aeroporto madrileno de Barajas. Um grupo de 61 homens e 11 mulheres chegou nesta terça-feira da Argentina e foi recebido por oficiais e uma multidão de jornalistas."Meu sangue é mais espanhol que argentino", disse Diego Fontela, de 26 anos, que chegou à Espanha para se incorporar a uma academia de infantaria.Segundo uma matéria do jornal El Mundo, o jovem queria ser soldado, mas ficou desiludido com a imagem do exército em seu país de origem.No entanto, depois de ver a publicidade do exército espanhol em um diário argentino, aproveitou a oportunidade para investir na carreira militar.Rocío Muñoz, que foi ouvido pelo jornal La Vanguardia, afirmou ter optado pela carreira militar na Espanha devido à péssima situação econômica da Argentina. "Espero ter aqui uma vida melhor do que lá", disse ele.A Espanha, que teve serviço militar obrigatório durante 213 anos, aboliu a obrigatoriedade em dezembro do ano passado, seguindo a tendência européia atual.Para seduzir novos recrutas o país adotou uma série de medidas, inclusive a redução dos coeficientes de inteligência mínimos exigidos dos novos recrutas. É esperada a adesão de cerca de 300 jovens latino-americanos nas forças armadas espanholas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.