Latinos cobram promessa sobre reforma imigratória

Eleitores creem que agora será mais fácil para Obama obter mudanças sem a "pressão" de buscar novo mandato

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2013 | 02h05

A comunidade latina festejou o segundo mandato do presidente Barack Obama, pedindo que ele leve adiante sua prometida reforma imigratória, já que não sofre mais a "pressão" de buscar uma reeleição.

"Neste segundo mandato, esperamos que leve adiante a reforma imigratória, pois ele mesmo reconheceu que não tinha cumprido sua promessa", disse Tomás Téllez, que esperava com sua filha na Avenida Pensilvânia - que liga o Capitólio e a Casa Branca - a passagem da comitiva presidencial.

O voto em massa dos latinos em favor de Obama teve uma importante influência na vitória de novembro, com 70% dos votos, e é considerado uma dos fatores decisivos na reeleição do presidente.

Por sua vez, sua filha Jimena Téllez mostrava-se entusiasmada com a cerimônia de posse. Ela disse que queria demonstrar que estavam muito felizes com o fato de Obama ter conseguido um segundo mandato.

Ao lado do Capitólio, Ivette Sánchez aguardava o discurso de Obama juntamente com seu irmão e seus sobrinhos, após viajarem de San Antonio (Texas) a Washington.

"Votei por Obama e queria vir e viver parte da história", disse Ivette, no Mall de Washington, onde começava a se aglomerar uma multidão.

Apesar de ser americana de várias gerações, Ivette também considera a questão da imigração como o desafio fundamental do segundo mandato de Obama.

"Deus queira que consiga aprovar a reforma imigratória. Ainda tenho o México no meu coração", destacou Ivette.

Em um trecho voltado à comunidade latina, que o ajudou a se reeleger, Obama disse ontem em seu discurso de posse do segundo mandato que há uma necessidade de "encontrar uma melhor maneira de dar as boas-vindas aos imigrantes que continuam vendo os Estados Unidos como uma terra de oportunidades". / EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.