Laurent Fabius anuncia candidatura à Presidência da França

O ex-premier francês Laurent Fabius anunciou oficialmente neste domingo que deseja ser candidato à presidência pelo Partido Socialista. Fabius aproveitou um encontro com militantes socialistas em Fleurance, sul do país, para fazer o anúncio.Segolene Royal e Dominique Strauss-Khan também já anunciaram que vão participar das prévias do partido, enquanto Jack Lang, outro aspirante à disputa, deve anunciar sua decisão até a tarde de terça-feira, 3.Em seu discurso, Fabius disse que quer ser um candidato "que dialogue com os trabalhadores e que fará da habitação, do emprego e da saúde as bases de sua campanha", de forma que com essas coisas a "França recupere um nível que nunca deveria ter perdido".Os diferentes candidatos socialistas iniciaram uma campanha interna para conseguirem o apoio dos militantes do partido nas prévias, que estão marcadas para o dia 16 de novembro.As previsões é de que haja um segundo turno dentro do partido, uma semana depois do primeiro, entre os dois mais voltados, caso um deles não consiga a maioria dos votos.O diário Le Journal de Dimanche publicou neste domingo uma pesquisa feita entre os simpatizantes socialistas, segundo a qual Segolene Royal aparece em primeiro lugar, com 49% das intenções de voto, seguida por Strauss-Kahn, com 14%; Lang, com 8% e Fabius, com 6%.Consciente da divisão interna que pode emergir dentro do partido, caso vários políticos queiram participar das prévias, Fabius fez neste domingo um chamamento aos militantes de esquerda pra que "se unam em torno de um projeto inovador. Para que dentro de alguns meses o presidente da República seja um socialista".Em julho de 1984 Fabius se tornou, com 37 anos, o primeiro-ministro mais jovem das três últimas Repúblicas. Agora, ele representa a ala mais radical do Partido Socialista, depois de ter se aproximado do liberalismo. Fabius é militante do partido desde 1974 e foi ministro do Orçamento, da Indústria e Investigação e da Economia, além de ter sido líder socialista entre 1992 e 1993.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.