Lavagna: FMI só percebeu erros 11 anos depois

O ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, ironizou o "mea culpa" realizado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre o comportamento que o organismo financeiro teve com o país ao longo dos anos 90. "O FMI só percebe os erros 11 anos depois. E isso só acontece em documentos. Mas, para a Argentina, esses erros se traduzem em mais desestruturação da produção econômica, desemprego e pobreza". O documento divulgado nesta quinta-feira foi bastante criticado em Buenos Aires, uma vez que nele o organismo financeiro culpa-se pela falta de "mão dura" com os governos argentinos ao longo dos últimos 15 anos. O ex-presidente Eduardo Duhalde (2002-2003), que governou o país durante mais de um ano sem um acordo com o FMI, declarou que "é bom que o Fundo faça sua auto-crítica, já que esse organismo é o responsável pelos horrores econômicos e financeiros dos anos 90. Duhalde sustentou que "se o FMI não mudar sua atual postura com a Argentina, daqui a quatro anos terá que fazer um novo mea culpa, porque eles estão errando outra vez".

Agencia Estado,

30 de julho de 2004 | 02h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.