'Le Monde' acusa Sarkozy de apuração ilegal em escândalo da L'Oreal

Gabinete teria ordenado operação para descobrir quem vazou detalhes de escândalo, diz jornal

Agência Estado

13 de setembro de 2010 | 14h13

PARIS - O jornal francês Le Monde acusou nesta segunda-feira, 13, o escritório do presidente Nicolas Sarkozy de ordenar uma investigação ilegal para tentar descobrir a fonte da publicação que vazou detalhes de um escândalo envolvendo a herdeira da L'Oreal, Liliana Bettencourt, a mulher mais rica da França. A presidência francesa negou as alegações do diário.

 

Segundo o jornal, o escritório da presidência transgrediu uma lei que protege pessoas que fazem denúncias anônimas, ao tentar investigar ilegalmente a fonte de uma de suas reportagens que tratava de um escândalo de financiamento ilegal de campanhas eleitorais.

 

"O (Palácio do) Eliseu nega as acusações do Le Monde e a presidência acrescenta que nunca deu quaisquer instruções (sobre o tema) para nenhum serviço", afirmou o escritório de Sarkozy, em breve comunicado.

 

O processo do Le Monde é o último episódio no complexo escândalo envolvendo a herdeira da L'Oreal. Liliane foi vinculada ao suposto financiamento ilegal da campanha à presidência de Sarkozy, que chegou ao poder em 2007. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.