Le Pen causa polêmica ao se apropriar de símbolo nacional para pedir votos

O líder ultradireitista francês Jean-Marie Le Pen causou nesta quarta-feira uma grande polêmica ao realizar um ato pré-eleitoral no palco da batalha de Valmy, onde há 214 anos aconteceu a primeira vitória da Revolução Francesa.Le Pen escolheu o local, altamente simbólico, para pedir aos franceses que votem nele nas próximas eleições presidenciais."Em sete meses, trata-se de vencer ou morrer", assegurou Le Pen, de 73 anos, que sonha em repetir em 2007 o êxito eleitoral obtido em 2002.Le Pen não se cansa de repetir que disputará o segundo turno com o candidato da esquerda, que, segundo ele, será o ex-primeiro-ministro socialista Lionel Jospin.O candidato afirmou ser o único a encarnar a verdadeira ruptura.Ele insistiu que sua mensagem se dirige a "todos, e não apenas aos franceses de berço ou de documentação, mas aos de coração e espírito", e citou como exemplos de completa integração os jogadores Michel Platini e Zinedine Zidane.Diante da presença de um grande número de jornalistas, Le Pen afirmou que, no pleito de 2007, a França "colocará em jogo sua história e sua alma".O discurso de Le Pen foi acompanhado pelos cânticos entoados por militantes do Movimento dos Jovens Socialistas, que cantaram a Marselhesa e a Internacional Socialista, consagrada como o hino internacional dos trabalhadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.