Legisladores da Etiópia devem aprovar lei antigay

A medida, aprovada na semana passada pelo Conselho de Ministros, deve ser submetida à votação na próxima semana

O Estado de S. Paulo,

25 de março de 2014 | 16h29

Legisladores da Etiópia devem aprovar uma lei que coloca a homossexualidade em uma lista de infrações consideradas "não perdoáveis" sob a lei de anistia do país. A medida, aprovada na semana passada pelo Conselho de Ministros da Etiópia, deve ser submetida à votação na próxima semana e espera-se que passe.

Na Etiópia, os atos homossexuais são ilegais e puníveis com até 15 anos de prisão. A pena de prisão de 25 anos também é aplicável para qualquer pessoa condenada por infectar outra com HIV durante atos sexuais com indivíduos do mesmo sexo.

O presidente da Etiópia, muitas vezes, perdoa milhares de prisioneiros durante o ano-novo no país. Se o projeto se tornar lei, o líder vai perder o seu poder de perdoar prisioneiros que enfrentam acusações que vão desde a homossexualidade ao terrorismo. A homossexualidade é criminalizada em muitos países africanos. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
Etiópiagaylei

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.