Lei de controle de preços deve entrar em vigor na Venezuela no dia 22

Ministro de Ciência, Tecnologia e Indústria do país anunciou nova legislação, que já tem opositores

AE, Agência Estado

08 de novembro de 2011 | 19h14

CARACAS - Um polêmico projeto de lei que estabelecerá o controle dos preços ao consumidor na Venezuela em diversos setores da economia do país sul-americano entrará em vigor no dia 22, afirmou nesta terça-feira, 8, o ministro venezuelano de Ciência, Tecnologia e Indústria, Ricardo Menendez.

O governo do presidente Hugo Chávez estabeleceu um cronograma para a implementação de diversos controles de preços, começando este mês com as inspeções das empresas que vendem e produzem "itens de higiene pessoal, alimentos e produtos de uso doméstico, que já estão sendo regulados", declarou Menendez em pronunciamento na televisão estatal venezuelana.

A primeira fase da chamada Lei de Custos e Preços Justos será implementada até 15 de novembro. A segunda fase começará em 15 de janeiro de 2012, quando o governo passará a acompanhar os preços das empresas de medicamentos e do setor de saúde em geral, prosseguiu o ministro.

O objetivo da lei é estabelecer preços máximos de produtos em diversos setores da economia. O projeto de lei prevê a criação de um comitê que irá monitorar a composição dos preços de produtos importados. Chávez e outros funcionários do governo acreditam que a lei reduzirá especulações e preços abusivos.

A inflação na Venezuela foi de 27% no período de 12 meses até outubro, segundo dado divulgado pelo Banco Central do país na semana passada. Grupos que representam interesses empresariais criticam a lei e afirmam que ela apenas contribuirá para aumentar ainda mais a inflação.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.