Lei de importação de papel-jornal é regulamentada

O governo da Argentina moveu uma nova peça em sua estratégia de obter total controle do papel-jornal no país. A Administração Pública Federal regulamentou a lei aprovada sobre o setor e delegou à Secretaria de Comércio Interior todas as decisões relacionadas à importação e produção de papel-jornal. A regulamentação também impõe cotas de importação - até o momento, os jornais importavam papel sem restrições. Os principais importadores são "Clarín", "La Nación" e "Perfil". O texto deixa a critério do chefe da secretaria, Guillermo Moreno, toda e qualquer possível sanção contra a empresa Papel Prensa, a única fabricante de papel-jornal do país. A nova resolução concede a Moreno poder para controlar o funcionamento do recém-criado registro nacional de fabricantes, distribuidores e comerciantes de pasta de celulose e papel para jornal, e dão a elas um prazo de 22 dias para inscrever-se. / MARINA GUIMARÃES, DE BUENOS AIRES

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.