Lei de referendo de Taiwan preocupa China

A China se declarou "muito preocupada" com a aprovação de uma lei de referendo sobre a independência de Taiwan pelo Parlamento do arquipélago. De acordo com o departamento do governo chinês dedicado a questões taiuanesas, Pequim está "monitorando de perto o desenvolvimento da situação".A nova lei, aprovada ontem, permite ao presidente convocar um referendo sobre a independência de Taiwan, no caso de um ataque externo. A China considera Taiwan uma província rebelde.Hoje, no entanto, o primeiro-ministro de Taiwan, Yu Shyi-kun, anunciou que tentaria revogar a lei, pois ela impede o governo de promover o plebiscito sobre o tema em tempos de paz. A restrição vale também para outros temas que possam desencadear uma guerra com a China.O presidente de Taiwan, Chen Shui-bian, queria uma lei que tornasse mais fácil para o governo declarar independência. Entretanto, a oposição taiuanesa, que tem pequena maioria no Parlamento e prefere a unificação com a China, foi contra a iniciativa de Chen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.