Lei impede nova eleição agora

Mesmo diante de resultados eleitorais que levaram o país a uma situação de "ingovernabilidade", o presidente da Itália, Giorgio Napolitano, não pode dissolver o Parlamento e convocar uma nova votação. A medida, que poderia oferecer ao país alguma perspectiva após nenhum candidato conseguir uma maioria parlamentar para governar, é vetada por lei. Pelas regras, Napolitano fica impedido de dissolver o Parlamento por estar cumprindo seus últimos seis meses de mandato. Assim, uma nova eleição só poderia ser convocada depois de maio, quando o atual presidente deixará o cargo e outro chefe de Estado será escolhido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.