Lei manda matar quem der terra aos palestinos, diz rabino

Um importante rabino disse a colegas que qualquer um que remova um assentamento judaico das terras palestinas estará sujeito à pena de morte, sob a lei bíblica judaica. Em suas declarações, divulgadas pela TV israelense, o rabino Avigdor Neventzal não chegou a mencionar o primeiro-ministro Ariel Sharon pelo nome. Sharon está decidido a retirar soldados e 7.500 colonos da Faixa de Gaza em 2005, como parte de seu programa de ?desligamento unilateral? dos territórios palestinos.Neventzal, que supervisiona os assuntos judaicos na Cidade Velha de Jerusalém, não foi encontrado pela Associated Press para elaborar seus comentários, que atraíram críticas de todo o espectro político. Nos anos 90, rabinos extremistas expressaram opiniões semelhantes sobre o então premier Yitzhak Rabin, que foi assassinado por um judeu ultra-nacionalista em 1995.As declarações de rabinos feitas na época foram vistas como uma licença para matar qualquer um que entregasse terra aos palestinos, como Rabin vinha fazendo.Em suas declarações gravadas, Neventzal diz: ?Que se saiba que qualquer um que queira dar embora partes da terra de Israel é considerado condenado à morte?. Neventzal disse que a emissão formal de uma sentença de morte, ou ?din rodef?, não é possível no mundo atual, já que o conselho que regia a lei judaica em tempos antigos não existe mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.