Lei marcial é revogada no sul das Filipinas

A presidente Gloria Macapagal Arroyo revogou hoje a lei marcial que havia sido imposta a uma província do sul das Filipinas, onde 57 pessoas foram massacradas, em um dos piores episódios de violência política do país. A região continuará sob estado de emergência, enquanto as autoridades investigam a participação de um poderoso clã local nos crimes.

AE-AP, Agencia Estado

12 de dezembro de 2009 | 19h06

A oposição disse que a presidente tomou a decisão para antecipar uma possível censura da Suprema Corte. O tribunal havia ordenado ao governo que se pronunciasse, até amanhã, sobre as sete petições questionando a base legal para a determinação. Imposta na semana passada, a lei marcial permitiu à polícia e ao exército realizarem prisões sem mandados.

Esta foi a primeira vez que a lei marcial foi declarada desde que o ex-ditador das Filipinas, Ferdinando Marcos, a impôs em todo o país, há mais de 30 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
massacrelei marcialFilipinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.