Lei que condena homossexualidade será abolida na Grã-Bretanha

Os casais de pessoas do mesmo sexo poderão beijar-se em público na Grã-Bretanha sem correrem o risco de serem acusados de ofensa à decência. O governo do primeiro-ministro Tony Blair quer abolir a lei vitoriana que condena a homossexualidade e que foi utilizada para condenar o escritor Oscar Wilde. A reforma - antecipou hoje o jornal The Independent - tende a terminar com a discriminação legal contra os homens homossexuais, equiparando-os, pela lei, aos heterossexuais. O projeto governamental - no âmbito de uma reforma mais ampla da lei sobre crimes sexuais - prevê também a abolição do delito de sodomia e de "sedução com fins imorais", que, da maneira pela qual está agora formulado, só se aplica aos homens.A decisão do governo foi recebida com satifação pelas organizações de direitos civis dos homossexuais. "A atual norma sobre crimes sexuais é anômala e discriminatória, sobretudo em relação aos homens gays", disse o advogado Martin Bowley, presidente de um grupo de apoio aos homossexuais. Já a associação religiosa Christian Institute é de opinião contrária, e afirma que "a lei deve ter uma base moral".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.