Lei sobre genocídio armênio irrita Turquia

O governo da Turquia apresentou um protesto formal à França contra uma lei que tramita no Parlamento do país e torna ilegal negar o massacre de armênios em 1915. O primeiro-ministro Recep Erdogan escreveu uma carta ao presidente francês, Nicolas Sarkozy, no qual considerou o projeto de lei hostil a seu país. "Quero deixar claro que esses passos terão graves consequências para as relações políticas e econômicas entre França e Turquia", escreveu o premiê. Até 1,5 milhões de armênios morreram no massacre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.