Levante palestino completa quatro anos

A intifada, ou levante palestino contra Israel, marca seu quarto aniversário. A revolta teve início em 28 de setembro de 2000, quando o então líder da oposição e atual primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, visitou um ponto de Jerusalém sagrado para judeus e muçulmanos. Manifestações violentas de protesto irromperam nos territórios ocupados, e cinco meses mais tarde Sharon derrotou o então premier Ehud Barak nas eleições."Precisamos de uma avaliação desses quatro anos", disse o primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Ahmed Korei. "Fizemos coisas certas e erradas. O que conquistamos e o que não conquistamos?", questionou, ao mesmo tempo em que pediu que o governo de Israel também reavalie suas políticas.A intifada cobrou um alto preço em vidas de ambos os lados do conflito, matando mais de 3.000 palestinos e quase 1.000 israelenses. Israel parece ter se saído melhor: o líder histórico dos palestinos, Yasser Arafat, está confinado a seu complexo na cidade de Ramallah há três anos, vê seu poder diminuir e centenas de ativistas palestinos foram mortos. A economia palestina está em frangalhos."O levante não foi derrotado, mas não trouxe a vitória. Francamente, hoje está mais perto da derrota que da vitória", escreve o comentarista Hani al-Masri no jornal palestino Al Ayyam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.