Líbano adverte Israel sobre fronteira marítima

O presidente do Líbano, Michel Suleiman, advertiu Israel contra "decisões unilaterais" na demarcação de uma fronteira marítima compartilhada, enquanto a disputa por reservas de gás offshore entre os países se aprofunda.

AE, Agência Estado

11 de julho de 2011 | 14h46

Suleiman advertiu em comunicado "contra quaisquer decisões unilaterais de Israel sobre suas fronteiras marítimas, o que desobedeceria a lei internacional, como é hábito de Israel". Suleiman disse que a questão será discutida no primeiro encontro do novo governo libanês, que na quinta-feira obteve um voto de confiança no Parlamento.

Ontem, Israel aprovou um mapa do país com mudanças nas fronteiras marítimas. O texto deve ser submetido à opinião da Organização das Nações Unidas (ONU). Israel há meses desenvolve grandes reservas naturais de gás no leste do Mediterrâneo, parte delas compartilhadas com o Chipre, o que pode ajudar o país a se tornar um exportador de energia.

Porém, esses planos geram controvérsia no Líbano, que afirma que esses campos ficam em suas águas. Israel não demarcou oficialmente suas fronteiras marítimas com o Líbano, e as duas nações ainda estão tecnicamente em guerra. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoIsraelfronteirasmarpetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.