Líbano: China confirma o envio de tropas, mas não detalha números

A China confirmou nesta terça-feira o envio de tropas àforça que a ONU está posicionando no Líbano, mas evitou detalhar seunúmero, que segundo o Governo francês seria de mil homens. "Os passos concretos para aumentar o envio de tropas à força daONU se encontram ainda em processo de consultas", disse nesta terça-feira oporta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Qin Gang, ementrevista coletiva. O presidente francês, Jacques Chirac, anunciou na segunda-feira ao términoda cúpula Asem (UE-Ásia) que o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao,anunciou na reunião de Helsinque que seu país está disposto a enviarao Líbano um número "nada desprezível", cerca de mil homens, que sesomariam aos 140 que já foram posicionados ali. "A China sempre está preocupada e apóia a paz no Oriente Médio, eestima como importante para a estabilidade da região aplicar aresolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU e ampliar as forças omais rápido possível", assinalou nesta terça-feira Qin. "Como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, a Chinarealizará contribuições positivas para este objetivo", acrescentouQin. A resolução 1701 prevê que a ONU posicione um total de 15 milsoldados para controlar o cessar-fogo entre Israel e o grupo armadoxiita libanês Hezbollah.

Agencia Estado,

12 de setembro de 2006 | 11h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.