Líbano condena violações aéreas israelenses

O presidente do Líbano, Emile Lahoud, condenou hoje as violações do espaço aéreo do país por aviões israelenses e instruiu o chanceler a entregar um protesto formal às Nações Unidas. Pelo segundo dia consecutivo, aviões e helicópteros israelenses realizaram vários vôos sobre o sul do Líbano, alguns deles causando estrondos sônicos ao quebrarem a barreira do som. O Exército israelense não comentou as afirmações do presidente libanês.Em um comunicado, Lahoud afirmou que os vôos estão causando pânico na população, "principalmente nas crianças que estavam aproveitando" o feriado sagrado muçulmano de Eid al-Fitr, uma festa de três dias que marca o fim do Ramadã."Os repetidos vôos (israelenses) durante o dia e a noite violam as normas internacionais e representam um ataque à integridade territorial e à soberania do Líbano", afirmou o presidente no comunicado.Staffan de Mistura, o representante do secretário-geral da ONU, Kofi Annan, afirmou que a "linha azul" (marca fronteiriça entre Israel e o Líbano) desenhada pela organização mundial foi violada 28 vezes na segunda-feira por 35 aviões e jatos israelenses. Mistura expressou sua "profunda preocupação" com os vôos e conclamou Israel a cessar as violações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.