Líbano decreta "Dia de Luto Nacional", após ataque em Qana

O Conselho de Ministros libanês, reunido neste domingo, 30, em caráter de urgência, decretou para esta segunda-feira o "dia de luto nacional" após o massacre perpetrado em Qana, onde 56 pessoas, a maioria crianças, morreram em um bombardeioisraelense contra um edifício ocupado por civis.Ao menos 11 pessoas ficaram feridas neste domingo, no sul do Líbano em conseqüência de novos bombardeios israelenses contra a região, perpetrados horas depois do ataque em Qana, informou a imprensa local.A Força Aérea israelense bombardeou as proximidades do hospital Saleh Gandur, na região de Bint Jbeil,deixando vítimas entre a equipe médica, segundo a Rádio Líbano, do governo e que não deu mais detalhes sobre o ocorrido.Os moradores locais pediram à ONU que tome alguma medida para impedirataques perto do hospital, o único existente entre as cidades deNakura e Bint Jbeil.A emissora de rádio A Voz do Líbano assegurou que pelomenos nove pessoas ficaram feridas em um ataque israelense contra alocalidade de Mafaidum. Uma pessoa também ficou ferida em outro ataque aéreo israelensecontra a cidade de Zautar el Gharbie, e outra perto de Ansar, também na região sul do país, acrescentaram as fontes.O grupo xiita Hezbollah reconheceu que dois de seus milicianos faleceram nos combates com Israel neste domingo, embora tenham assegurado que seus combatentes foram responsáveis por várias baixas nos quadros israelenses em Taibe, perto da fronteira entre os dois países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.