REUTERS/Yaser Al-Khodor
REUTERS/Yaser Al-Khodor

Líbano detém três mulheres sauditas que tentavam se unir ao EI na Síria

Autoridades sauditas entraram em contato com o governo libanês depois de o marido de uma das três mulheres pedir ajuda às autoridades e denunciar que sua mulher e uma irmã pretendiam se juntar ao grupo jihadista

O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2016 | 13h20

SÍRIA - As autoridades libanesas entregaram nas últimas horas a seus colegas sauditas três mulheres detidas que tentavam atravessar para a Síria com a intenção de se unir ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI), informou nesta sexta-feira, 12, o Ministério saudita de Interior.

Em comunicado divulgado pela agência oficial saudita de notícias, SPA, o porta-voz oficial de Interior, general Mansour Turki, disse que, na segunda-feira, as autoridades sauditas receberam uma chamada do marido de uma das mulheres detidas.

Nessa comunicação telefônica, o homem denunciou que sua esposa tinha abandonado a Arábia Saudita com três de seus filhos, entre dois e dez anos. A nota acrescentou que essa mulher estava acompanhada também por duas irmãs, entre elas uma que levava quatro crianças, entre um e seis anos.

Turki precisou que as detidas, junto aos menores, tentavam entrar na Síria "porque professam a ideologia radical". O general acrescentou que as autoridades sauditas investigam o fato das mulheres abandonarem o país em direção a Beirute, por isso que se coordenaram com seus colegas no Líbano, que conseguiram detê-las em seu território antes que entrassem na Síria.

Além disso, o porta-voz anunciou que as mulheres serão colocadas à disposição das autoridades judiciais para adotar medidas legais contra elas. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.