Líbano liberta três suspeitos de matar ex-premier

O juiz Saqr Saqr não explicou sua decisão de libertar dois irmãos libaneses e um sírio

AE-AP e Efe,

25 de fevereiro de 2009 | 16h43

Três homens que estavam presos havia mais de três anos pelo assassinato do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri foram libertados nesta quarta-feira, 25, sob fiança, dias antes da abertura de um tribunal internacional para o julgamento do caso. O juiz Saqr Saqr não explicou sua decisão de libertar dois irmãos libaneses (Ahmad e Mahmoud Aabdel Aaal) - sob fiança de 500 mil libras libanesas (US$ 330) cada - e um sírio (Ibrahim Jarjura) - cuja fiança foi de 100 mil libras libanesas (US$ 67). O ex-premier e outras 22 pessoas, entre elas o deputado e ex-ministro Bassel Fleihan, foram mortas numa rua de Beirute em fevereiro de 2005, num ataque suicida. Os três ainda podem ser processados no caso, embora ninguém tenha sido acusado formalmente pelo ataque. A decisão do juiz, transmitida pela agência de notícias oficial, diz que outros quatro suspeitos do ataque - todos generais libaneses pró-síria - permanecerão detidos, o que pode fazer com que eles sejam entregues à corte internacional. Quando Hariri foi assassinado eles chefiavam, respectivamente, a polícia, a inteligência militar, a agência geral de segurança e a brigada de guardas presidencial.     Sua libertação ocorre dias antes da implementação, em 1º de março, em Haia, do tribunal internacional que deverá julgar as pessoas envolvidas nesse assassinato e em outros atentados contra personalidades libanesas antissírias.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoHaririsuspeitos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.