Líbano nega caso de lavagem de dinheiro

O Líbano considerou "inteiramente infundada" uma informação segundo a qual mais de US$ 250 milhões teriam sido transferidos a um banco libanês, via Bolívia, em um grande caso de lavagem de dinheiro. O ministro libanês das Finanças, Fuad Saniora, acusou os serviços de inteligência dos Estados Unidos e de Israel por espalharem a notícia, com o objetivo de desacreditar o sistema bancário do Líbano. "A informação foi forjada e é inteiramente infundada", afirmou Saniora. O ministro estava se referindo a um relatório emitido por uma agência governamental da Bolívia que alega que mais de US$ 250 milhões, aparentemente pertencentes a traficantes de drogas brasileiros, teriam sido transferidos nos últimos sete anos para um banco libanês, via Bolívia. "O dinheiro deve ter sido usado pela máfia russa para financiar organizações terroristas internacionais", disse Ramiro Rivas Montealegre, diretor da Unidade de Investigação Financeira da Bolívia, que entregou o relatório com a acusação ao Ministério da Fazenda do Brasil. "Há indicações de uma ligação entre traficantes de drogas e terroristas internacionais", afirmou Montealegre. A Polícia Federal brasileira informou à Associated Press que abriu uma investigação sobre o caso, mas recusou-se a dar maiores detalhes. O Líbano, que condenou os atentados de 11 de setembro em Nova York e Washington, está se esforçando para se distanciar de grupos terroristas e para combater a lavagem de dinheiro, em concordância com sua promessa de colaborar na campanha americana contra o terrorismo. O procurador-geral do Líbano, Adnan Addoum, também repudiou o relatório da agência boliviana. "Se realmente existisse um relatório verdadeiro, nós o teríamos recebido na forma de carta oficial da Interpol, de autoridades brasileiras e de outros", afirmou Addoun. No ano passado, o Líbano estava entre os 15 países listados pela Força Tarefa de Ação Financeira dos EUA por não cooperar com a luta contra fundos ilegais. Em abril, o Parlamento libanês finalmente aprovou uma lei transformando a lavagem de dinheiro em uma atividade ilícita. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.