Líbano põe fim a impasse que ameaçou derrubar governo

O governo do Líbano pagou ontem sua parte nos custos do tribunal da ONU que investiga o assassinato do premiê Rafic Hariri, ocorrido em 2005. O atual chefe de governo libanês, Najib Mikati, havia ameaçado renunciar caso os mais de US$ 30 milhões da parte libanesa para o financiamento da corte não fossem pagos. A facção islâmica Hezbollah, porém, que tem quatro membros acusados de participação no atentado e exerce forte influência política no país, opõe-se ao procedimento jurídico internacional. "Tenho uma firme crença no princípio do estabelecimento da verdade e da Justiça. Não é aceitável ignorar os assassinatos do ex-premiê e seus companheiros", disse Mikati. / REUTERS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.