Líbano qualifica ataque do Hezbollah como autodefesa

O governo do Líbano qualificou como ato de autodefesa o disparo de um foguete do Hezbollah que matou um soldado israelense em um veículo militar que atravessou a fronteira entre os dois países, ignorando exigências americanas para que Beirute reprima o grupo guerrilheiro.O ministro libanês das Relações Exteriores, Jean Obeid, afirmou que "o Líbano e a resistência estão engajados na autodefesa do país e simplesmente respondem às diárias violações aéreas, navais e territoriais cometidas por Israel".Na segunda-feira, guerrilheiros do Hezbollah dispararam um míssil antitanque contra uma escavadeira do Exército de Israel que cruzou a fronteira com o Líbano, matando um soldado israelense e deixando outro gravemente ferido. No dia seguinte, aviões israelenses atacaram supostas bases do grupo no sul do Líbano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.