Liberal britânico volta atrás e aceita coalizão

Após ser bastante criticado, Nick Clegg diz que faria aliança com Partido Trabalhista, mas que não aceita Gordon Brown como primeiro-ministro

Andrei Netto, CORRESPONDENTE / PARIS, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2010 | 00h00

Um dia após dizer não à hipótese de participar de um governo de coalizão formado pelos partidos Trabalhista e Liberal, o candidato centrista à eleição na Grã-Bretanha, Nick Clegg, mudou de opinião e disse que pode formar um governo com os trabalhistas, mas não com o premiê Gordon Brown. "Não acho que os britânicos o queiram mais como primeiro-ministro", disse.

A mudança do discurso veio após uma batelada de críticas de líderes políticos do país, que advertiram para o risco de divisão do Parlamento em três forças, o que impediria a formação de um governo forte. As declarações de Clegg sobre a hipótese de coalizão com os trabalhistas foram feitas à BBC no domingo. O liberal disse considerar "absurda" a ideia de que um partido acabe em terceiro na contagem geral dos votos, mas nomeie o premiê.

Com a resposta, Clegg quis desmentir os rumores de que seu partido pudesse formar uma aliança com os trabalhistas para evitar a posse do conservador David Cameron.

As críticas que sofreu após as declarações, contudo, não mexeram nos números, que seguem indicando uma diferença média de 5 pontos porcentuais entre o primeiro e o terceiro colocados. Uma pesquisa publicada ontem pelo instituto ICM indicou a liderança de Cameron, com 33% das intenções de voto, seguido de Clegg, com 30%, e Brown, com 28%.

Em relação à semana precedente, o quadro se manteve idêntico. Nas demais pesquisas, a vantagem dos conservadores para os trabalhistas oscila, em geral, entre 6% e 4%. "A eleição será decidida nas últimas 48 horas", disse o chanceler David Miliband. O instituto UK Polling Report projetou ontem um Parlamento de maioria trabalhista, mas insuficiente para obter a maioria absoluta - única hipótese que garantiria, sem a necessidade de negociações, a recondução de Brown ao poder.

CANDIDATOS

Nick Clegg

Líder do Partido Liberal foi eurodeputado antes de assumir a cadeira no Parlamento Britânico

David Cameron

Líder dos conservadores desde 2005, assumiu com a missão de promover reformas para modernizar a legenda

Gordon Brown

Eleito premiê em 2007, teve um dos piores índices de aprovação de um líder

trabalhista em décadas por causa da crise econômica e uma série de escândalos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.