Libéria inaugura 2º centro de tratamento de ebola

Autoridades na Libéria abriram neste sábado um novo centro de tratamento para pacientes com ebola na capital, Monróvia, após a instalação atual ficar sobrecarregada com o avanço da doença, demonstrando que o surto atual está longe de ser controlado.

Estadão Conteúdo

16 de agosto de 2014 | 12h49

O primeiro centro de Monróvia deveria receber até 25 pessoas, mas contava com cerca de 80 pacientes ontem, segundo o vice-ministro da Saúde, Tolbert Nyenswah. A nova unidade dispõe de 120 leitos, mas o número pode ser triplicado em face da crise atual.

Isolar pessoas infectadas é fundamental para evitar a disseminação do ebola, uma vez que a doença pode ser transmitida por meio de fluidos corporais, como sangue, suor ou urina. Não há tratamento licenciado ou vacinas para o ebola, que matou pelo menos metade de suas vítimas este ano.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a doença matou ao menos 1.145 pessoas na Libéria, Serra Leoa, Guiné e Nigéria, mas alerta que o alcance do surto pode estar sendo "amplamente subestimado". Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Libériaebola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.