Libertação da Líbia não terminou, diz chefe de Estado

O chefe de Estado da Líbia, Mohammed Megaryef, disse, neste sábado, que nem todas as áreas do país foram libertadas, em um discurso para celebrar o primeiro ano de morte do ditador Muamar Kadafi. "A campanha para libertar o país não foi totalmente finalizada", disse Megaryef, que preside a Assembleia Nacional.

NALU FERNANDES, Agência Estado

20 de outubro de 2012 | 18h29

Ele apontou a cidade de Bani Walid, palco de embates recentes, uma das áreas de domínio durante o regime de Kadafi.

Megaryef fez uma avaliação sombria sobre o período posterior ao ditador. Ele cita "atrasos e negligência" na formação do exército e da força policial, e o fracasso em desarmar e integrar antigos rebeldes.

Ele também citou que atrasos na reforma e reativação do Judiciário prejudicaram a reconciliação nacional. "A situação criou um estado de descontentamento e tensão entre diferentes segmentos da sociedade e contribuiu para espalhar o caos, a desordem, a corrupção e enfraqueceu o desempenho de diversas agências do governo", disse Megaryef. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.