Libertação de norte-americana é adiada no Irã

A agência estatal de notícias IRNA do Irã disse hoje que o governo do país cancelou a libertação da montanhista norte-americana Sarah Shourd, porque os procedimentos judiciários legais não foram cumpridos. A informação sobre o cancelamento da libertação oficial de Shourd, dada antes pela agência ILNA, foi confirmada mais tarde pelo conjunto da mídia estatal iraniana.

Agência Estado

10 de setembro de 2010 | 19h02

A IRNA cita o chefe de comunicações para o escritório do presidente do Irã, Mohammed Hassan Salilhimahan, dizendo que a libertação da norte-americana foi adiada e não acontecerá amanhã. Funcionários iranianos anunciaram libertariam Shourd, de 31 anos, parar marcar o festival do Eid al-Fitr, no final do mês islâmico do Ramadã. É comum prisioneiros serem libertados no final da celebração.

Mais cedo hoje, a agência de notícias Mehr citou o porta-voz do ministro do Exterior do Irã, Ramin Mehmanparast, o qual afirmou que o presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad havia intercedido pessoalmente para garantir a libertação amanhã de Shourd. Ahmadinejad teria feito isso por causa do ponto de vista especial da República Islâmica do Irã sobre a "dignidade da mulher".

Além de Shourd, estão detidos também o noivo dela, Shane Bauer, de 27 anos, e o amigo Josh Fattal, também de 27 anos. O trio foi preso na província iraniana do Kordestan, em julho de 2009, após ter entrado inadvertidamente no Irã a partir do Curdistão iraquiano.

Os familiares dos norte-americanos dizem que o trio estava passeando pela região iraquiana e que cruzaram a fronteira de forma acidental. Após a prisão no Kordestan, os três foram enviados a Teerã, onde estão na prisão de Evin. Autoridades iranianas permitiram que as mães dos três detidos visitassem seus filhos em maio.

Tudo o que sabemos sobre:
libertaçãomontanhistaEUAIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.