Libertação de reféns abre caminho para paz

Em meio à euforia pelo início da libertação de cerca de 150 policiais e soldados após anos em cativeiro, o governo do presidente da Colômbia Andrés Pastrana e alguns líderes políticos expressaram que foi aberto o caminho rumo a um tratado de paz para encerrar 37 anos de violência guerrilheira. "Esta é uma demostração de que governo e guerrilha querem cumprir a palavra empenhada e nos permite pensar que, se foi obtido um acordo, muitos outros poderão levar à paz e à convivência entre os colombianos", disse o ministro de Interior Armando Estrada Villa, após a libertação, ontem, de policiais e soldados doentes que estavam em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Esta é uma demostração de que não é impossível um acordo de paz", manifestou o arcebispo Alberto Giraldo, líder da Igreja Católica colombiana e um dos delegados do governo na mesa de negociações com as Farc.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.