Libertação de reféns das Farc é adiada em um dia, diz jornal colombiano

Primeiro militar deve ser solto no domingo; segunda libertação é prevista para a terça

Agência Estado

26 de março de 2010 | 10h37

SÃO PAULO - O comissário de Paz da Colômbia, Frank Pearl, afirmou na quinta-feira, 25, que a libertação de dois reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) será adiada em um dia. Agora, o primeiro refém deve ser libertado no domingo, enquanto o segundo será solto na terça-feira, informa em seu site o jornal local El Tiempo.

Pearl citou dificuldades de logística para o atraso. Ele disse que funcionários da Cruz Vermelha e do grupo Colombianos e Colombianas para a Paz devem viajar nesta sexta para o Brasil, como parte da operação. A senadora Piedad Córdoba e outros envolvidos no processo viajam para São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, onde são esperados pelos helicópteros e tripulantes brasileiros que participarão dos resgates, segundo o diário.

No domingo deve ser resgatado o soldado Josué Daniel Calvo. A previsão é que ele chegue neste dia à tarde a Villavicencio, capital do departamento (Estado) de Meta, no centro do país. Segundo as Farc, Calvo tem problemas graves de saúde, que o impediram de caminhar até o local onde será libertado. O diário colombiano nota que o soldado, sequestrado em 2009, deve seguir diretamente para o Hospital Militar em Bogotá.

Na terça-feira, deve ocorrer o resgate do sargento Pablo Emilio Moncayo, em poder das Farc há mais de 12 anos. Nessa operação, a equipe de resgate deve partir de Florencia, no departamento de Cauca, no sudoeste do país. Nos dois casos, os helicópteros seguirão até um ponto não divulgado da floresta colombiana para buscar os reféns. Os locais do resgate são repassados à senadora de esquerda, que tem atuado para libertar mais reféns dos guerrilheiros.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarclibertaçãoreféns

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.