Libertado fótografo peruano da AFP seqüestrado em Gaza

O fotógrafo peruano Jaime Rázuri, seqüestrado em 1º de janeiro em Gaza, foi libertado neste domingo. A polícia palestina informou a jornalistas da France Press (AFP), agência para qual o fotógrafo trabalha, que Rázuri está livre e já deixou a Faixa de Gaza pelo posto fronteiriço de Erez. A polícia não informou se foi descoberta a autoria do seqüestro.Segundo noticiou meios de comunicação israelenses, o chefe de polícia do Hamas, Jaled Meshal, entrou em contato na quinta-feira de Damasco com Mumtaz Durmush, suposto líder do Exército do Islã, para pedir a libertação do fotógrafo.Durmush teria afirmando que só poderia libertar o fotógrafo peruano caso o movimento islâmico Hamas entregasse 18 militantes seus responsáveis pela morte de integrantes do Exército do Islã. As informações não foram confirmadas pela polícia.O Exército do Islã, grupo dissidente dos Comitês de Resistência Popular é uma das milícias que participaram, em junho de 2006, do seqüestro do soldado israelense Guilad Shal, ainda em cativeiro.Rázuri assegurou que seus seqüestradores o trataram bem e lhe deram de comer, em breves declarações à imprensa, na sede da Presidência da Autoridade Nacional Palestina (ANP), para onde foi levado pela polícia após ser libertado.O repórter gráfico disse que está bem, pois foi bem tratado e recebeu "boa comida" dos seqüestradores.Matéria ampliada às 19h20

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.