Libertado jornalista português seqüestrado no Iraque

O jornalista português Carlos Raleiras, seqüestrado na sexta-feira no sul do Iraque, foi libertado hoje. Raleiras, da emissora de rádio TSF, relatou que não havia sido ferido e que não sabia se um resgate foi pago para a sua libertação. Disse que foi capturado por nove homens, que omantiveram por várias horas hoje dentro do porta-malas de umcarro e que ele passou por várias casas desde que foi seqüestrado. Ele foi abandonado numa estrada nas proximidade de Basra.Raleiras foi seqüestrado na sexta-feira quando um comboio dejornalistas portugueses foi atacado por homens armados logodepois de entrarem no Iraque pelo Kuwait. Ele viajava para Basra a fim de cobrir a presença da polícia portuguesa na região. Maria João Ruela, jornalista da rede de televisão privada SIC, ferida em um joelho pelos disparos dos seqüestradores, foi levada hoje por soldados britânicos ao Kuwait, de onde voltaria a Portugal em um avião enviado pelo governo português. Sete outros jornalistas portugueses no comboio escaparamilesos.As forças britânicas de ocupação negociavam hoje com osseqüestradores a libertação de Raleiras, mas autoridadesbritânicas e portuguesas não quiseram confirmar se havia sidopago um resgate de US$ 50 mil pedido pela libertação dojornalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.