Libertado no Daguestão holandês seqüestrado há 20 meses

Um funcionário da organização Médicos Sem Fronteiras, seqüestrado há 20 meses, foi solto hoje em uma operação da polícia russa na província do Daguestão. O holandês Arjan Erkel já chegou a Moscou e foi levado à embaixada russa. Acredita-se que seu estado de saúde seja bom. O governo russo não comentou se houve ou não o pagamento de resgate ou favores pela libertação do refém, que passou 607 dias em cativeiro.Erkel chefiava uma missão da organização no norte do Cáucaso. Foi seqüestrado em um região do Daguestão fronteiriça à Chechênia, onde tropas russas enfrentam rebeldes desde 1999. Nos últimos meses, a Médicos Sem Fronteiras vinha criticando o governo russo, acusando integrantes de cumplicidade em seqüestros políticos. Em dezembro, o chefe da polícia do Daguestão foi preso sob suspeita de envolvimento em casos de seqüestro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.