Libertado pastor canadense detido na Coréia do Norte

Ele ficou preso, durante dois meses, por ter tentado estabelecer uma igreja

EFE

27 de janeiro de 2008 | 03h05

Um pastor protestante de nacionalidade coreana-canadense foi libertado na Coréia do Norte após ficar detido durante dois meses por ter tentado estabelecer uma igreja, informou a agência local "Yonhap". O pastor Kim Jae-yeol, detido em novembro, foi libertado na semana passada, depois da intervenção do embaixador canadense na Coréia do Sul, Ted Lipman, segundo a "Yonhap",  que cita a emissora de rádio americana "Voz da América". Kim, que em 1997 participou da criação de clínicas médicas na Coréia do Norte, tinha tentado estabelecer uma igreja na Coréia do Norte. Além disso, em uma entrevista havia criticado o regime comunista de Pyongyang, segundo a fonte. O embaixador canadense em Seul visitou recentemente Pyongyang para conseguir a libertação de Kim, que aparentemente já viajou para Seul. Existem na Coréia do Norte alguns grupos religiosos e pelo menos dois templos protestantes e um católico, mas os opositores ao regime afirmam que há uma perseguição da atividade religiosa independente e só se idolatra o presidente norte-coreano, Kim Jong-il.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.