Libertado suspeito do atentado de Bali

A polícia indonésia libertou um homem detido em 31 de outubro por suspeita de ser autor do atentado de Bali, que causou a morte de 180 pessoas. A detenção deveu-se às suas semelhanças com um dos três retratos dos autores das explosões de 12 de outubro, mas essa suspeita acabaria por não ser confirmada, disse à imprensa o porta-voz da polícia indonésia, Edward Aritonang. "Ele não é a pessoa que estamos procurando", disse o oficial. Trata-se de um indivíduo de 33 anos e foi preso numa estação de ônibus da Ilha das Flores, situada a 520 quilômetros a leste de Bali, onde passava férias. A polícia informou também que continua interrogando o religioso muçulmano Abu Bakar Béchir, detido em 20 de outubro. Ele é acusado de ter ligações com o terrorismo. Béchir é considerado por vários serviços de informações da região como um dos chefes da Jamaah Islamiyah (JI), uma organização implantada na Ásia Oriental, com laços com a Al-Qaeda. No entanto, não é suspeito no atentado de Bali. A polícia pretende avaliar suas supostas ligações com Omar al-Farouk, um cidadão do Kuwait tido como representante da organização terrorista de Osama bin Laden na Ásia Oriental e detido pelos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.