Libertado um dos fundadores Grupo Islâmico Armado da Argélia

Abdelhak Layada, um dos fundadores do Grupo Islâmico Armado (GIA), que estava preso há treze anos sob uma condenação a morte, recuperou a liberdade neste domingo, informaram seus advogados. Layada, transformado em emir ou líder nacional do GIA, após a morte de seu antecessor Mohammed Allel em 1993, beneficiou-se das disposições da "Carta da Paz e a Reconciliação", votada por plebiscito, que oferece a anistia condicional aos indivíduos acusados de atividades terroristas. Em sua saída da prisão de Serkadyi, em Argel, Layada, conhecido pelo nome de guerra de "Abu Adian", foi recebido com aclamações por parentes e dezenas de antigos terroristas que também recuperaram sua liberdade com a anistia. Entre as pessoas que esperavam-no à porta da prisão estava o "número dois" da Frente Islâmica de Salvação (FIS), o imame Ali Benhach, libertado há poucos dias da prisão de Harrach, onde tinha sido preso em 25 de julho. Em março de 1993, Layada penetrou no Marrocos com vários de seus seguidores para constituir uma "bae de retirada", segundo reconheceu mais tarde. Foi detido e extraditado para a Argélia, onde foi condenado à pena capital.

Agencia Estado,

13 Março 2006 | 06h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.