Libertados estudantes que protestavam contra condenação de professor no Irã

Quatro líderes estudantis que lideraram manifestações contra a sentença de mortos imposta ao professor Hashem Aghajari foram libertados nesta quarta-feira, mas terão de comparecer a um tribunal local para responder a acusações de colocar em risco a segurança do Estado, disse um familiar.Saeed Razavi, Abdollah Momeini, Mehdi Aminizadeh e Akbar Atri foram libertados na manhã de hoje, mas deverão comparecer no sábado perante a Corte Revolucionária de Teerã para novos interrogatórios, disse Morteza Atri, irmão de Akbar, à The Associated Press.Uma corte da capital iraniana determinou ontem que os quatro deveriam ser presos. Segundo Morteza Atri, eles foram levados por agentes de segurança à paisana. Ele disse que os líderes estudantis tiveram os olhos vendados e não sabem onde ficaram presos.No entanto, o vice-governador de Teerã, Ebrahim Rezaei Babadi, criticou ontem as detenções como "contrárias aos interesses do país. Ele pediu aos estudantes que mantenham a calma.Os quatro foram acusados de "insultar as santidades islâmicas" e "colocar em risco a segurança do Estado" ao liderarem manifestações contra a sentença de morte imposta a Aghajari, informou a IRNA, Agência de Notícias da República Islâmica.Eles gritavam frases em prol da liberdade durante manifestações e qualificaram os clérigos conservadores que comandam o país como "inimigos do Irã"."Os inimigos do Irã são aqueles conservadores cujas ações trazem vergonha ao país, prendem escritores e acadêmicos, recusam-se a respeitar as escolhas do povo e posicionam-se contra o presidente e o parlamento democraticamente eleitos", disse Momeni à The Associated Press pouco antes de ser detido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.