Libertados reféns italianos no Iêmen

Cinco reféns italianos foram libertados e boas condições de saúde nesta sexta-feira, depois de seis dias no cativeiro, quando os seqüestradores se entregaram a forças do governo iemenita, informa uma fonte oficial. O grupo de reféns, composto de três mulheres e dois homens, foram levados de avião para a capital, Sanaa, onde foram apresentados, pálidos e exaustos. A ex-refém Patrizia Rossi falou dos momentos de ansiedade durante o seqüestro, com "metralhadoras apontadas para nossas cabeças". "Quando vimos que tínhamos sido soltos, foi um colapso total", disse Rossi ao canal de TV italiano SkyTG 24, por telefone. O vice-governador Adnan Abu Lehoum disse que os seis seqüestradores estão presos. Os homens armados capturaram os turistas italianos em Marib, 110 km a nordeste da capital, para forçar o governo a soltar seis colegas de tribo que estão presos. Horas depois, os seqüestradores haviam sido convencidos a soltar as mulheres do grupo, mas elas se recusaram a deixar o cativeiro sem os homens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.