Libertados xiitas libaneses sequestrados na Síria

Um grupo de libaneses xiitas que tinha sido sequestrado na Síria foi libertado em boas condições de saúde nesta sexta-feira, três dias após rebeldes sírios armados os capturarem quando voltavam de uma peregrinação a lugares sagrados do Irã. O grupo era composto por 11 libaneses e um motorista sírio. Autoridades libanesas e sírias responsabilizaram rebeldes sírios pelos sequestros, mas nenhum grupo assumiu a autoria do ataque.

AE, Agência Estado

25 Maio 2012 | 13h57

Os sequestros aumentaram os temores de que o Líbano estaria sendo atraído para os sangrentos conflitos na vizinha Síria. Horas após os ataques de terça-feira, moradores de subúrbios ao sul de Beirute dominados por xiitas fizeram protestos queimando pneus e bloqueando estradas.

O primeiro-ministro libanês, Najib Mikati, confirmou que o grupo foi libertado, e afirmou que "eles estão bem de saúde e a caminho de Beirute". Os sunitas formam a espinha dorsal da revolta síria. O presidente sírio, Bashar Assad, e a elite do país pertencem ao pequeno grupo alawita, um ramo do xiismos.

O líder do poderoso grupo xiita libanês Hezbollah, xeque Hassan Nasrallah, festejou a libertação dos peregrinos. Ele disse que o apoio da Síria ao grupo está firme. "Se vocês almejam pressionar nossa posição política, isso não fará nenhuma diferença", afirmou a respeito dos sequestros.

Os sequestros surgem em um momento de aprofundamento entre as tensões no Líbano sobre a Síria. Os dois países vivem fortes conflitos políticos e sectários e de rivalidade, os quais podem rapidamente se tornar violentos. Distúrbios mataram ao menos 10 pessoas no Líbano nas últimas duas semanas. A Síria manteve tropas no Líbano por quase 30 anos. As informações são da Associated Press

Mais conteúdo sobre:
Síria sunitas reféns libertação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.