Líbia assina acordo de US$ 170 mi com vítimas de atentado

A Líbia assinou um acorde para pagar US$ 170 milhões às famílias das vítimas da explosão de um avião de carreira francês, ocorrida em 1989. Cerca de 20 parentes de vítimas assistiram à assinatura, feita pelo principal negociador francês e o diretor de uma fundação dirigida pelo filho do ditador líbio Muamar Kadafi, no escritório de uma firma de advogados em Paris.O atentado de 19 de setembro de 1989 contra o vôo da UTA, sobre o deserto de Tenere, no Níger, matou as 170 pessoas abordo. As vítimas eram de diversos países, mas maioria - 54 - era francesa.A Líbia já havia se comprometido a pagar US$ 33 milhões em indenização, em 1999, mas os parentes exigiram mais dinheiro depois que o governo líbio concordou em pagar uma soma muito maior - US$ 2,7 bilhões - aos parentes das 270 vítimas de outro atentado, cometido em 1988 contra um jato da PanAm sobre Lockerbie, Escócia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.