Líbia diz poder julgar ex-chefe de espionagem de Kadafi

A Líbia está determinada a julgar o ex-chefe de espionagem de Muamar Kadafi, Abdullah Senussi, que foi preso na Mauritânia, disse neste domingo o ministro da Justiça Ali Hmeida Ashur à AFP. O Tribunal Penal Internacional (ICC, na sigla em inglês) e o Tribunal Penal da França querem a extradição de Senussi.

AE, Agência Estado

18 de março de 2012 | 14h24

"Nossos tribunais são muito bons, até excelentes, especialmente em Trípoli e somos capazes de levar esse julgamento de acordo com os padrões internacionais, disse o ministro.

Ontem, a Anistia Internacional disse que Senussi deveria ser julgado pelo ICC na ausência de um sistema judiciário em funcionamento na Líbia.

"Esperamos que os diplomatas e integrantes do governo convençam todos os partidos da necessidade de julgar Senussi na Líbia", acrescentou, dizendo que o país está em contato com a Mauritânia sobre o assunto.

O porta-voz do governo líbio, Nasser al-Manaa, disse ontem que o procurador-geral do país enviou um pedido de extradição à Mauritânia via Interpol, pedindo que Senussi fosse enviado de volta a Trípoli.

O ICC quer julgar o ex-braço direito de Kadafi por crimes durante a repressão aos levantes no ano passado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaKadafiespiãojulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.