Líbia é acusada de mentir sobre crianças supostamente feridas em bombardeios

Menina identificada como vítima de bombardeio teria, na verdade, sido ferida em acidente de carro

BBC Brasil, BBC

06 de junho de 2011 | 10h54

Autoridades líbias estão sendo acusadas de manipulação da mídia depois de levar jornalistas estrangeiros a um hospital para ver o que o governo alega ser crianças vítimas de bombardeios da Otan.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia

 

 

Segundo o correspondente da BBC em Trípoli Wyre Davies, um grupo de jornalistas foi levado nesse domingo a um hospital em Trípoli, depois de ver uma casa que teria sido danificada em um ataque das forças ocidentais, próximo a instalações militares.

O repórter afirma que, já no hospital, um funcionário não-identificado passou uma nota a um jornalista, dizendo que uma menina inconsciente, identificada como ferida por um bombardeio, era, na verdade, vítima de um acidente de trânsito.

O correspondente da BBC diz que as suspeitas de manipulação foram reforçadas mais tarde, quando um homem sentado ao lado da cama da criança, afirmando ser seu tio, acabou sendo identificado como uma autoridade da mídia estatal líbia.

A Líbia vem sendo alvo de ataques aéreos comandados pela Otan e autorizados por uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, sob a justificativa de proteger os civis em meio aos conflitos entre rebeldes e forças leais ao governo.

Os insurgentes e as forças leais ao líder líbio, coronel Muamar Khadafi, se enfrentam em combates em diversas áreas do país desde fevereiro deste ano, depois da realização de protestos populares exigindo reformas democráticas e a mudança do governo.

Condições rígidas

Davies afirma que a mídia estrangeira trabalha em condições extremamente rígidas e restritivas na Líbia.

"Quando somos levados por guardas do governo para ver as consequências de bombardeios da Otan, aquilo que nos é apresentado é impossível de verificar e, francamente, às vezes difícil de acreditar", diz o correspondente da BBC. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.