Líbia interrompe cooperação energética com Itália

O primeiro-ministro da Líbia, Baghdadi Mahmudi, anunciou hoje a "paralisação total" da cooperação com a Itália, dizendo que não serão firmados acordos futuros com o grupo energético ENI por causa da participação italiana na campanha de ataques aéreos da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no país.

AE, Agência Estado

14 de julho de 2011 | 11h50

Segundo Mahmudi, o acordo com a ENI está permanentemente rompido, pelo fato de a Itália ter violado um pacto de não agressão firmado com Trípoli há três anos. A ENI não quis comentar a notícia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataquesItáliaOtanenergia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.