Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Líbio condenado reafirma inocência

O agente da inteligência líbia sentenciado à prisão perpétua pelo atentado a bomba em 1988 contra um avião comercial da Pan Am reafirmou sua inocência e disse numa entrevista publicada hoje que está jejuando para aproximar-se de Deus. "Deus é minha testemunha, sou inocente. Eu nunca cometi nenhum crime e não tenho relação com esse problema", afirmou Abdel Basset Ali al-Megrahi, de sua prisão na Holanda, numa entrevista publicada pelo diário árabe Asharq Al-Awsat.Juízes escoceses num julgamento de nove meses consideraram, há 10 dias, que Al-Megrahi colocou uma bomba no Jumbo da Pan Am, que se dirigia a Nova York. No atentado, 270 pessoas morreram.O jornal escreveu que al-Megrahi queria que sua declaração deinocência chegasse a todos os seres humanos. "Juro por Deus queeu nunca vi qualquer maleta ou coloquei qualquer maleta (noavião)". O suposto cúmplice de Al-Megrahi, Lamen Khalifa Fhimah, foideclarado inocente e voltou como herói para a Líbia.O jornal baseado em Londres escreveu que al-Megrahi negou notícias anteriores que davam conta que ele estava em greve de fome. Ele explicou que estava jejuando "para ficar mais perto de Deus". O condenado também contestou o testemunho de um lojista maltês que o identificou como sendo o homem que comprou roupas usadas para envolver a bomba."Esse maltês, desde seu primeiro testemunho, disse que eu tinha uns 50 anos. Naquela época, eu tinha 30 e poucos. Ele disse que eu era negro, então mudou seu testemunho diante da corte e disse que eu não era negro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.